• Rua José Bonifácio 2355 sala 812 - Santa Maria - RS
  • Seg à Sex - 8h às 12h - 14h às 18h

O que causa plaquetas baixas?

Plaquetopenia ou trombocitopenia é a diminuição do número de plaquetas no sangue, sendo um achado frequente no hemograma, e nem sempre significa presença de alguma doença. Os valores de referência das plaquetas são de 150.000 a 400.000/mm³.

A plaquetopenia é uma situação que prejudica a coagulação, e pode causar sintomas como manchas roxas ou avermelhadas na pele, sangramento nas gengivas ou pelo nariz, e urina avermelhada, por exemplo.

As plaquetas são componentes essenciais do sangue para a coagulação, facilitando a cicatrização de feridas e impedindo hemorragias, e existem diversas causas para a sua redução, dentre elas infecções, gestação, uso de medicamentos, doenças relacionadas com a imunidade, como púrpura trombocitopênica, e neoplasias, como leucemias e linfomas.

O tratamento desta situação deve ser feito conforme a sua causa, pelo hematologista, podendo ser necessário apenas o controle da causa, uso de medicamentos ou a transfusão de plaquetas.

Doação de medula óssea

As chances de encontrar uma medula óssea compatível para um paciente são raras, podendo chegar 1 em 100 mil! Por isso, ao se tornar um doador, você está ajudando a diminuir essa distância.

É preciso ter entre 18 e 55 anos de idade e estar em bom estado geral de saúde (não ter doença infecciosa ou incapacitante). Para se cadastrar, o candidato a doador deverá procurar o hemocentro mais próximo de sua casa para esclarecer dúvidas a respeito da doação.

Em seguida, será feita a coleta de uma amostra de sangue (10ml) para a tipagem de HLA (exame de histocompatibilidade que identifica as características genéticas de cada indivíduo). Os dados do doador são inseridos no cadastro do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) e, sempre que surgir um novo paciente, a compatibilidade será verificada. Uma vez confirmada, o doador será consultado para decidir quanto à doação.

É possível se cadastrar como doador voluntário de medula óssea nos hemocentros localizados em todos os estados do país.

👉 Consulte no endereço http://redome.inca.gov.br/doador/hemocentros o hemocentro mais perto de você.

Um doador de medula óssea deve manter seu cadastro sempre atualizado.

👉 Caso haja alguma mudança, atualize pelo endereço http://redome.inca.gov.br/doador-atualize-seu-cadastro

Fonte: GRAACC

Dra. Juliana Salvador participou do HEMO 2018

Dra. Juliana Salvador participou do HEMO 2018 – Congresso Brasileiro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular, o terceiro maior evento do mundo ocidental da especialidade que foi realizado entre os dias 31 de outubro e 03 de novembro no Transamerica Expo Center, em São Paulo – SP.

O evento reuniu conferencistas nacionais e internacionais, além de participantes oriundos de várias regiões do país e do mundo.

Dra. Juliana Salvador participou do XII Congresso da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea

Entre os dias 02 e 04 de agosto de 2018 a Dra. Juliana Salvador participou do XII Congresso da Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea, realizado no Rio de Janeiro, no Hotel Windsor Barra Hotel. O evento trouxe os maiores expoentes mundiais da hematologia, hemoterapia, terapia celular e áreas correlatas, além de mostrar o que é debatido ao redor do mundo.

Com grandes nomes do TMO como a Dra. BRONWEN SHAW representando o CIBMTR – Registro internacional, que abordou temas como a segurança dos doadores e a Dra. JULIET BARKER do Memorial Sloan Katherine Cancer Center abordando a perspectivas no presente e futuro do uso de unidades de sangue de cordão umbilical (SCUP). Estas, entre outros palestrantes nacionais e estrangeiros, contribuíram ainda mais para o desenvolvimento do TMO no Brasil.

Dra. Juliana Salvador participou do Board Review em SP

De 27 a 29 de junho de 2018 a Dra. Juliana Salvador participou do Board Review: XII Curso de Revisão em Hematologia e Hemoterapia promovido pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein.

O evento realizado em São Paulo, no Hospital Israelita Albert Einstein, propiciou uma imersão de três dias em atualizações a respeito do estado da arte das várias doenças hematológicas malignas e não malignas.

Promovendo uma visão geral para poder orientar a prática no dia a dia, com o objetivo de melhor tratar o paciente hematológico.