• Rua José Bonifácio 2355 sala 812 - Santa Maria - RS
  • Seg à Sex - 8h às 12h - 14h às 18h

Atividade física durante a quimioterapia, pode?

No tratamento oncológico, os exercícios físicos podem ser realizados durante ou após a quimioterapia e a radioterapia, como adjuvante ao tratamento. Quando feitos regularmente, auxiliam na regulação de hormônios e atuam sobre o sistema imunológico, ajudam a manter a composição corporal adequada (ou seja, a distribuição entre músculos, gordura e ossos no corpo), a diminuir a perda de massa muscular e a manter o coração funcionando bem.

Um efeito colateral recorrente no tratamento da maioria das neoplasias é a fadiga. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos, entre 72 e 95% dos pacientes são afetados por esse cansaço extremo, que pode resultar na diminuição significativa da qualidade de vida. Estudos mostram que a prática diária de exercício pode diminuir a intensidade desse sintoma em até 50%.

Mesmo com todos esses benefícios, é muito importante que as pessoas em tratamento de câncer tenham cuidado redobrado durante os exercícios. Em geral, recomenda-se a realização de, pelo menos, 30 minutos de exercícios físicos por dia ou 150 minutos de atividade ao longo da semana, tempo este dividido entre exercícios de resistência muscular e aeróbicos, mas sempre de intensidade baixa. É a importante sempre consultar um médico, pois cada caso é um caso e estar acompanhado por um bom educador físico e que tenha experiência em pacientes com câncer é fundamental.