• Rua José Bonifácio 2355 sala 812 - Santa Maria - RS
  • Seg à Sex - 8h às 12h - 14h às 18h

O que é Fadiga Oncológica?

Ser diagnosticado com um câncer acarreta grandes mudanças no paciente, tanto físicas quanto mentais. Medo, ansiedade, estresse são sentimentos que podem aparecer no momento do diagnóstico, durante e mesmo após o tratamento. Quimio, radio e imunoterapia, tratamentos essenciais para controle e cura da doença, também podem causar diferentes reações no paciente.

Existe também uma reação ligada à mente e ao corpo: a fadiga oncológica, que é descrita por pacientes como um cansaço extremo ou sensação de exaustão. E essa sensação é diferente de estar cansado após um dia de trabalho, por exemplo. A fadiga é duradoura e pode persistir ao logo da semana toda e independe da realização de atividades ou não.

O tratamento oncológico causa efeitos no metabolismo energético muscular, causando perda de força. Além disso, alteração na qualidade do sono, estresse e períodos de internação hospitalar podem aumentar a sensação de fadiga.

Esse quadro é prejudicial à qualidade de vida, visto que causa alterações nas atividades cotidianas, como deixar de praticar atividade física, ou até mesmo redução da autoestima, da concentração e da memória.
Para o tratamento da fadiga oncológica, é fundamental um atendimento multidisciplinar, com o trabalho alinhado de profissionais das diferentes áreas da saúde:

Exercícios terapêuticos, respiratórios, de equilíbrio e de coordenação, supervisionados por um fisioterapeuta, sempre respeitando as condições clínicas e físicas do paciente;

Orientação e adaptação para as atividades diárias, como alimentação e higiene, além do uso de instrumentos que auxiliem essas tarefas, assim como técnicas de conservação de energia, podem ser propostos por um terapeuta ocupacional;

A alimentação é fundamental para o controle da fadiga. Anemia é um sintoma recorrente entre pacientes oncológicos, assim como desidratação e desnutrição, causando um cansaço acentuado. O papel de um nutricionista é essencial para uma alimentação balanceada durante e após o tratamento.

Além desses profissionais, cabe ao onco-hematologista a definição do tratamento adequado, além da indicação de medicações que possam auxiliar no controle da fadiga.