• Rua José Bonifácio 2355 sala 812 - Santa Maria - RS
  • Seg à Sex - 8h às 12h - 14h às 18h

Perguntas Frequentes

RESPONDENDO ÀS DÚVIDAS FREQUENTES

A palavra hematologia significa estudo do sangue. O hematologista, por sua vez, é o médico que estuda, pesquisa e trata as doenças do sangue e dos órgãos hematopoiéticos — medula óssea, os linfonodos ou gânglios linfáticos e o baço. Na medula óssea, hemácias, leucócitos (glóbulos brancos) e plaquetas, são produzidos para posteriormente ganharem a circulação ou adquirirem maturidade nos outros órgãos citados. Cada um desses componentes deve estar em quantidades e condições específicas para estarem saudáveis e não comprometerem o funcionamento de outras partes do corpo. Quando um deles apresenta algum problema, o hematologista faz a investigação, por meio de exames específicos de sangue, para identificar a causa e indicar o tratamento.

Doenças que envolvem o sistema hematopoético, ou seja, tecidos e órgãos responsáveis pela proliferação, maturação e destruição das células do sangue (hemácias, leucócitos e plaquetas). A hematologia também estuda os distúrbios de coagulação que envolvem substâncias contidas no plasma.

•  ANEMIAS: carenciais (falta de ferro/vitamina B12), hemolítica, aplásica, hemoglobinopatias (talassemia);

•  ALTERAÇÕES DA COAGULAÇÃO: plaquetopenias (púrpuras), hemofilias, doença de Von Willebrand, trombofilias;

• DOENÇAS PROLIFERATIVAS E INFILTRATIVAS: leucemias agudas e crônicas, linfoma de Hodgkin, linfomas não-hodgkin, mielodiplasias, mieloma múltiplo, síndromes mieloproliferativas

Diferentemente de outros tipos de câncer, que são tratados pelo oncologista, os cânceres do sangue, como as leucemias e os linfomas, são tratados pelo hematologista. É o hematologista quem faz o transplante de medula e a indicação e acompanhamento da quimioterapia. Os tratamentos com transfusão de sangue também são prescritos e acompanhados pelo hematologista. Assim como o uso de anticoagulantes e outros medicamentos para tratar trombose e demais alterações de coagulação. O hematologista também atua nos bancos de sangue e hemocentros.

Você deve procurar o hematologista se tiver os seguintes sinais ou sintomas:

  • sangramento de mucosas, como gengiva e nariz
  • hematomas (manchas roxas na pele)
  • tromboses
  • linfonodos (gânglios linfáticos) inchados / aumentados
  • fadiga (cansaço)
  • febre
  • perda de peso
  • coceira pelo corpo / prurido
  • sudorese noturna

Após o exame clínico, o hematologista pode solicitar os seguintes exames:⠀⠀⠀⠀

  • hemograma: para analisar leucócitos, plaquetas, hemácias e outras células sanguíneas
  • coagulograma: para verificar se há problemas de coagulação
  • metabolismo de ferro: para analisar a absorção de ferro pelo organismo e rastrear causas de anemia e hemocromatose
  • testes imunológicos
  • mielograma, citogenética, biologia molecular e biópsia da medula: para pesquisar alterações na formação das células sanguíneas e pesquisar células de câncer

Hematologia é a parte da medicina destinada ao estudo do sangue. Tem o objetivo de conhecer todos os elementos constituintes do sangue como as hemácias, leucócitos e plaquetas, estuda como são produzidos e em quais órgãos, incluindo a medula óssea, baço e linfonodos. Além de estudar o sangue com as suas características normais, estuda também todas as alterações e distúrbios sanguíneos que originam graves doenças.

O hematologista é um médico especializado no diagnóstico e tratamento das doenças associadas aos elementos do sangue e dos órgãos hematopoéticos. Estas doenças são normalmente divididas entre hematológicas (não consideradas câncer) e onco-hematológicas (tipos de câncer advindos dos órgãos hematopoéticos).

Geralmente sinais e sintomas como palidez da pele e das mucosas, cansaço físico, fraqueza, perda de apetite, perda de peso, suor noturno, infecções frequentes, sangramentos (petéquias, equimoses e hemorragias), tromboses, aumento de gânglios em pescoço ou virilhas, fratura óssea espontânea bem como quaisquer alterações encontradas no hemograma podem significar doenças primárias do sangue e exigem avaliação especializada.

Existem diferentes tipos de anemia e entre as mais frequentes como a anemia por deficiência de ferro, a anemia por deficiência de vitamina B12 ou a anemia decorrente de doenças crônicas não tem qualquer associação com leucemias. Entretanto, existe uma doença chamada síndrome mielodisplásica que cursa com anemia e pode evoluir com transformação leucêmica. Neste cenário ressaltamos a importância do diagnóstico correto e baseado em critérios estabelecidos a fim de proporcionar o esclarecimento mais adequado ao paciente.